+ Isa Land: Setembro 2006

Isa Land

"Deus nos concede, a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta." (Chico Xavier)

A minha fotografia
Nome:
Localização: lisboa, Portugal

Uma mulher com muitas virtudes e alguns defeitos. Bem disposta por natureza... mas se me irritam muito... saiam debaixo. Vou aonde o coração me levar... Sou sportinguista... Enfim boa pessoa!!!

sexta-feira, setembro 29, 2006

Determinação

Amei! Adorei! Que lição que este dono nos dá! Eu também estou determinada a enganar a morte juntamente com a minha pantufa. Ela é resistente! Muito resistente. E ainda não vós disse, fazemos uma caminhada diária de 3kms no minimo. Eu fico mais cansada.. pois pudera, ando a duas e ela anda a 4... Mas para lhe fortalecer os músculos traseiros não há melhor.
E vamos vivendo...
Isabel

Rugas...

E este mês de Setembro, acrescentei mais umas rugazitas ao meu coração. Foi um mês em que o calor prevaleceu, 40º durante semana e meia... Um horror. A minha mãe teve um derrame na vista, por causa da tensão arterial, muito elevada. Estivemos 9 horas no hospital de Santa Maria, nas urgências. Não comento o sistema de saúde português! Palavras para quê? Toda a gente o conheçe, se não for umas cunhazitas para passar à frente... Triste, muito triste... Vi de tudo acontecer naquele hospital, desde discussões, intervenção da policia, etc... Também tenho que mencionar o atendimento excelente por parte da médica que assistiu a minha mãe. Agora descanso, e vai recuperar bem! Por outro lado a minha cadela, a pantufa, piorou, teve um principio de paralisia nas patas traseiras (atrofia muscular) fez tratamento com cortisona e claro está, pioraram os rins. Esteve internada 4 dias. Melhorou!!! Hoje anda melhor e os rins estão bem. Não posso esquecer os medicamentos diários... A minha avó teve um avc, após uma semana está recuperada! Com 93 anos... E já agora pelo meio disto tudo continuaram as minhas idas ao hospital para as minhas consultas e tratamentos. E assim se passou o mês de Setembro!!! Espero que o Outubro me traga mais energia e calmaria... Preciso mesmo!!! Um beijinho grande aos miguinhos/as que por aqui têm passado e deixado um comentário.
Isabel

Será?

quinta-feira, setembro 28, 2006

Vento

"Ás vezes ouço passar o vento.
E só de ouvir o vento passar
Vale a pena ter nascido."
Fernando Pessoa

Não tenho ambições

domingo, setembro 24, 2006

Quem sou eu?

Sou uma pequena acha de uma fogueira que arde brandamente. Estou estagnada nesta vida marcada por conflitos próprios. Que faço? Como agir? Que caminho sigo? Que atitudes tomo? Conto comigo própria. Ombro amigo? O meu é optimo. Faço esboços e mais esboços mas não avanço neste rigor do preto e branco. Que falta que me faz a côr...
Isabel

Sede de Infinito

O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais, há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que eu nem mesmo compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudades...sei lá de quê!

Florbela Espanca

sábado, setembro 23, 2006

Ama-me

" Ama-me quando eu menos merecer,
pois será nessa altura que eu mais
necessitarei."
A mais linda frase de amor, alguma vez dita! Não sei quem é o autor, tenho pena. Demonstra uma sabedoria sem fim... E é assim mesmo que devemos dar o nosso amor... Lindo, sem dúvida. Estou sem palavras. Só consigo pensar nas vezes em que o meu amigo/a, meu vizinho/a, a minha familia precisava de um conforto e eu fugi, por achar que não tinham sido correctos... Ah, relamente, uma chapada sem mão. Amei!
Isabel

Acordar


"Quando acordamos dos nossos sonhos
nem nos apercebemos que a vida que deixámos
já nem existe…"
Porque tantas e tantas vezes nos recusamos a ver a realidade, que está bem à nossa frente e continuamos a iludir-nos, a teimar em viver noutra dimensão? Medo da verdade? Medo da crueldade? Medo da derrota? Medo de nos sentirmos perdidos? Alheios à nossa própria vontade? Enquanto sonhamos esquecemos a realidade. E nos sonhos tudo podemos exigir, que todas as nossas vontades são cumpridas. Nos sonhos não há sofrimento nem dor. Por muitos e muitos motivos, eu, por vezes, prefiro continuar a viver noutro mundo...
Isabel

sábado, setembro 16, 2006


WELCOME TO MY LAND

Surgir de repente

Gravam o nome e depois vão embora. Por um lado é triste a partida por outro não tanto... É um novo recomeçar para eles. São novos, têm garra e uma vida inteira pela frente. Para ti Deia, para ti Indira e para ti Micos que fizeram diferença em mim e por isso serão sempre lembrados com ternura. Um jinho grande.
Isabel

Ensinamento

"A vida me ensinou a não
chorar por nada que não
possa chorar por mim..."

De mim para mim

"Às vezes quando começo a pensar em mim,
noto que sou uma pessoa
muito importante para mim mesma.
E fico imaginando:
o que seria de mim se não fosse eu?
Como eu gosto de me ajudar,
comprar coisas para mim,
beneficiar-me a mim mesmo.
Ahhh.... A vida sem mim seria vazia.
Para falar a verdade
eu nem existiria se não fosse eu.
E tem mais, muita gente gosta de mim
por exemplo: Eu, a minha pessoa, eu mesmo,
e todos os pronomes que se referem a mim.
A pessoa que eu mais gosto
no mundo é de mim mesma.
Como eu me amo, já não posso mais viver sem mim.
Meu amor por mim
já ultrapassa as barreiras da psicologia.
Não consigo palavras para dizer quanto eu me amo.
E para não dizer que sou individualista,
existem cinco pessoas que eu gostaria
de colocar no podium:
Em 1º lugar: eu,
Em 2º lugar: eu,
Em 3º lugar: eu,
Em 4º lugar: eu - para não perder o costume;
E, em 5º lugar a pessoa que escreveu isto para vocês
Então tudo que eu desejo para mim
é que eu seja muito feliz.
Que eu continue sendo esta pessoa simpática
e divertida que eu sou.
Um auto beijo

Eu gosto muito de mim.
Só assim poderei gostar de VOCÊS
com todo o carinho que só vocês merecem"

Coração cansado

"Tenho o coração cansado
do muito que se entregou

passa as noites acordado
chorando por quem amou

o cachorro que morreu...
o amigo que partiu...
a dor que aconteceu
no momento em que sorriu...
as flores de pé partido
numa voz amordaçada...
o poema proibido
e a notícia censurada..
a mulher que mal amou...
o menino abandonado...

...tenho o coração cansado
do muito que se entregou"
desconheço autor

Talvez


"talvez nos voltemos a ver
talvez

talvez sem lágrimas
um pouco mais velhos
um pouco mais cansados
um pouco mais gastos pelo amor cumprido em outros corpos
talvez

talvez haja uma esquina com cheiro de saudade
onde o teu caminho e o meu caminho
se encontrem
sem culparem o destino
talvez

talvez nos demos as mãos
numa melancolia de árvores depois da tempestade
e façamos de conta que ontem não existiu
que não se passou nada
talvez

talvez deixemos a memória embrulhada
nas folhas amarelas dum jornal
pergaminho de notícias para consumo imediato
talvez

talvez nos demos as mãos
como aquele casal do filme romântico
que vimos no cinema de bairro apenas porque chovia
e não sabíamos o que fazer com o silêncio
talvez

talvez lancemos foguetes
talvez façamos uma festa
talvez caminhemos em direcção ao sol
talvez gozemos o para sempre que ainda nos resta

talvez
talvez nos voltemos a ver
"

desconheço autor

sexta-feira, setembro 08, 2006

História de amor

Ele, ao longe, observava o movimento dela no baloiço. Há muitos dias que vinha, sempre à mesma hora, só para a poder ver. Mas não conseguia aproximar-se. Achava-a linda. A menina mais linda que alguma vez tinha visto. Sentia por ela uma ternura sem fim. Apetecia-lhe, chegar a seu lado e abraça-la, como nunca abraçou ninguém. Mas novamente não teve coragem para se ir chegando. Ela viu-o. Como todos os dias o via. Sentia emoção. Sabia que um dia ele deixar-se-ia conhecer. E assim aconteceu. Ele aproximou-se. Ela sorriu. Ele perguntou-lhe se podia sentar no baloiço vazio, a seu lado. Ela fez um gesto afirmativo com a cabeça. Olharam-se nos olhos e sorriram um para o outro. E começou uma nova história de amor...
Isabel

Fonte da eterna juventude

Descobri-a e vou banhar-me nela. Vou entrar, entrar bem devagarinho, esperando sentir a diferença. Vou rejuvenescer 10, quem sabe 15 ou mesmo 20 anos. Adeus cabelos brancos, adeus rugas, adeus flacidez. Passado bastante tempo, reparo que estou na mesma. Acho que me enganaram... Não! Esperem! Há uma diferença sim. Ficou a descontracção, o prazer de relaxar num belo banho. Os cabelos brancos, as rugas e a flacidez cá continuam, mas a paz, a tranquilidade que me envolvem, são únicas. E isso sim, é meio caminho andado para a juventude.
Não fisica mas mental...
Isabel

We go to dance?

Eu estava a um canto, não me sentia vestida apropriadamente para aquele salão, nem para aquele baile. Ele, bem, ele estava lindo. Aquele fato negro fazia sobressair um corpo alto e masculo. Olhos negros a faiscarem de paixão. Dirigiu-se a mim: We go to dance? Parei no tempo, espantada. Era eu mesma, a eleita. Pegou-me na mão, envolveu-me com firmeza mas muito gentilmente também. Rodopiámos, rodopiámos... O sonho começou. Afinal, eu, até tinha calçados sapatos de cristal...
Isabel

domingo, setembro 03, 2006

Três coisas

De tudo, ficaram três coisas:
A certeza de que estamos sempre começando...
A certeza de que precisamos continuar...
A certeza de que seremos interrompidos antes de terminar...
Portanto, devemos fazer:
Da interrupção um novo caminho...
Da queda, um passo de dança...
Do medo, uma escada...
Do sonho, uma ponte...
Da procura, um encontro...
Fernando Pessoa

Dei-te quase tudo

" Foste entrando sem pedires
E marcaste os teus sinais
Tatuaste a minha vida
Ferro e fogo e muito mais
Vasculhaste os meus segredos
e eu deixei
Sem reverdes nem pudor
Invadiste os meus sentidos
O qu'eu não fiz por amor
e deixaste a minha vida
meio perdida
Neste beco sem saída
Dei-te quase tudo
e quase tudo foi demais
dei-te quase tudo...
Leva agora os teus sinais
Obrigaste-me a quebrar todas as leis
e deixaste-me ao sabor da loucura
dei-te os dedos e os anéis
E o que tinha de melhor"

É urgente amar

Se todo o mundo fizesse e o demonstrasse assim, tudo seria bem diferente. Haveria mais paz e união entre os povos e entre os irmãos. Utopia? Talvez, mas que seria bem melhor, seria...

Baralhar, partir e dar de novo

Nós temos a mania de querer viver permanentemente apaixonados. Mas é impossível. Seria o ideal, mas tal não acontece. Estou a falar de paixão mesmo amorosa, não paixão pela vida, pelo trabalho etc. Queríamos sentir uma vida inteira o nosso coração bater descontrolado. É impossível ao fim de alguns anos de vivência em comum continuarmos apaixonados como no primeiro dia. Temos duas alternativas: continuar na relação em que investimos, porque afinal de contas já sabemos o que nos espera, ou então, colocar um ponto final. Sim, é preciso coragem para baralhar, partir e dar de novo...
Isabel

Agosto se foi...

Apesar de já irmos no dia 3 de Setembro, não quero deixar o mês de Agosto ir sem o relembrar. Foi o mês de férias por excelência para a maioria dos portugueses. Eu tive 9 dias, porque não pude escolher outra data. Não aprecio este mês para lazer. Está tudo muito cheio e eu quero é paz e sossego (tão dificil de obter) Foi um mês de praia excepcional. Temperaturas altissímas. (Eu sofri-as na pele, com as minhas alergias... ) Um mês de incêndios... Triste.. Querem fazer deste país um descampado cinzento. A minha mamã celebrou 83 aninhos de vida. E assim se passaram 31 dias. Para o ano regressas novamente, vai...
Isabel

sábado, setembro 02, 2006

Carinho

Paciência

" Melhores dias virão". "Amanhã é outro dia". "Depois da tempestade vem a bonança". Ditados que dizemos a nós próprios quando a vida não nos corre de feição. Mas o certo, é que passa hoje, passa amanhã, passa depois e o desejado dia melhor não aparece. É preciso paciência... Frase comum que entra no ouvido. Pois, paciência. Como tê-la se a vida é passada a correr e mal temos tempo para respirar? Irrita-me ouvir: Paciência. Mas paciência porquê? Se eu vivo a cem à hora, se tudo é tão momentâneo assim? Só preciso que o amanhã seja hoje! Que se lixe a paciência...
Não tenho pachorra para a paciência!!!
Isabel

Provérbio

Eu por vezes sou tão "ceguinha".Ou então recuso-me a ver os pedregulhos no meu caminho. Cego, não é só o que não vê... Quantas vezes digo para mim própria: Abre os olhos! Inúmeras vezes. A maioria delas, não resulta mesmo. Teimo em ser cega...
Isabel

Estou intolerante

Não tenho paciência para os imprevistos do dia a dia. Não tenho paciência para as pessoas que me desagradam, nem para suas atitudes: viro-lhes as costas. Nâo me dou ao luxo de olhar para elas. Não tenho tempo a perder com quem não interessa. Tou a ficar "cota". Mas é certamente, sinónimo de certezas e juízos! Faço o que quero e não o que os outros pretendem. A vida é minha e só a vivo uma vez.
E a passos largos, eu sinto-o...
Isabel

Presunção

Porque a vida teima em não me dar o que pretendo, chegando mesmo a roubar o que é meu por direito? Se me dá um amor, em seguida dá-me por acréscimo dor, sofrimento e lágrimas. Se me dá, por gentileza, um dia bem passado, alegre com satisfação plena, no dia seguinte, faz-me reflectir, sobre a minha insignificância perante o universo. Mas afinal o que sou eu? Um joguete nas mãos da vida! Ela põe e dispõe sobre a minha pessoa, sobre a minha alma, sobre o sangue que me corre nas veias! E não me venha, com a conversa que há pessoas com vidas muito piores do que a minha! Sei: Cada um sabe sobre si e Deus de todos. Odeio frases feitas! Deixemo-nos de ditos. Não estou feliz com a minha vida e ponto final. Merecia muito mais! Presunção? Azedume? E porque não? Afinal mais um ditado não faz mal: Presunção e água benta,
cada um toma a que quer.
Isabel