+ Isa Land: Janeiro 2007

Isa Land

"Deus nos concede, a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta." (Chico Xavier)

A minha fotografia
Nome:
Localização: lisboa, Portugal

Uma mulher com muitas virtudes e alguns defeitos. Bem disposta por natureza... mas se me irritam muito... saiam debaixo. Vou aonde o coração me levar... Sou sportinguista... Enfim boa pessoa!!!

quarta-feira, janeiro 31, 2007

Janeiro acabou

Mais um mês que se completa. Ai, tempo que passas depressa demais... Para mim, um mês de tratamento neste longo percurso que me espera, mas esperançada na minha recuperação. Um mês de grandes alegrias, acreditem, por motivos pessoais, talvez um dia resolva partilhar com voçês esses momentos. Marcou-me também porque seria o aniversário do meu pai, seria... Foi um mês no qual pôs em dia algumas tarefas (aquelas que deixamos sempre para mais tarde.) Arrumar papeis. Enfim, arrumei um pouco a vida. Um mês que pela força das circunstâncias me fez aproximar mais da familia. Foi um mês de viragem! E não podia deixar de falar da minha cadela "Pantufa". Para quem tem acompanhado a nossa saga: ela está óptima e só vai repetir as análises no dia 21 de fevereiro. Está muito melhor, e começa a ir ao veterinário uma só vez por mês. (Que felicidade)
Obrigado por tudo o que me deste, mês de Janeiro.
Isabel

Tarde bem passada


Hoje tive uma tarde especial! Uma amiga visitou-me. Estou de baixa desde Dezembro de 2006 e quase sempre em casa, embora possa sair, mas com o frio que está, fico-me quase sempre por aqui. A minha amiga resolveu aprender, (mais a praticar), a tricotar, fazer croché, ponto de cruz.. enfim trabalhos manuais. Eu adoro este tipo de labores. Estou a ouvir alguém chamar-me cota????? E assim, combinámos e fomos juntas comprar lãs. Ideias bem interessantes que ela têm! E nunca a vi assim tão entusiasmada. Lanchámos os paezinhos de leite que lhe comprei prepositadamente e um cházinho da camomila. Depois, depois foi vê-la a começar um cachecol! A principio com um pouco mais de dificuldade, mas depois, hum... Depois já parecia uma perita no assunto!!! Combinámos repetir a tarde amanhã. Adoro estar no trecolareco envolvida em lãs, linhas, agulhas, tesoura...
Adorei a tarde. Passou-se num ápice.
Ah... E sempre acompanhadas pela minha mamã,
que também adorou a presença da minha amiga.
Até amanhã.
Isa

Amizade

Há pessoas que eu amo, pessoas que me são indiferentes
e também há o caso de ódiozinhos.
Porquê tanta empatia com uns e tanta alergia a outros?
Porque sentimos, por vezes, tanta amizade, tanta ternura,
tanto carinho, por quem nem conheçemos?
Afectos que passa pelo nosso imaginário?
Necessidade de proteger?
Como sentimos carinho por alguém
que nos é completamente desconhecido?
Porque aprendemos a vê-los e senti-los
com os olhos da alma e do coração
e essa pessoa passa a fazer significado em nossa vida.
Há um cantinho especial para ela.
Abençoados os amigos com que partilho a minha vida.
Hoje, eu amo-me e amo as minhas amizades,
sejam presenças fisicas ou presenças no coração.
Jinhos aos meus amigos/as.

Isabel

terça-feira, janeiro 30, 2007

Só eu...


Acho que estou mesmo, como dizem agora os "xavalos", cota! Sabem o que fiz ontem? Esqueci completamente de apagar o lume do fogão depois de ter frito um ovo... Claro, estão a imaginar, né? Tava eu a refastelar-me quando vejo muita luz a sair da cozinha. Ai meu Deus! Fui a correr, só tive tempo de atirar um tapete para cima do fogão... Xiiiiii, e os cortinados, ali tão perto das chamas!!! Quando tento perceber bem o que aconteceu, reparo que a casa está toda cheia de fumo! Xiiiiiiiiiii... Toca a abrir tudo o que é portas e janelas para fazer corrente de ar e o fumo sair. E o frio que estava ontem à noite? Pois.. Imaginem a minha figura: cobertor nas costas, gorro na tola e na varanda com a minha cadela ao colo!!! Que figura linda! O que me valeu é que era noite e nenhum vizinho à vista! Bom o cheiro a queimado ainda persiste. A cozinha? Bem essa, está por limpar!!! Até as paredes terão que ser lavadas, os azulejos de brancos passaram a cinzentos... E foi assim que terminou o meu dia de ontem!
(Tudo o que se parecer com ficção, não é!
Aconteceu-me mesmo)
Isabel

domingo, janeiro 28, 2007

Blog


Ontem o meu mano veio almoçar comigo. Conversa daqui, conversa dali e acabamos de volta do meu blog. "Oh Bela, (nome para a familia) onde raio vais tu buscar a inspiração?" Aconteçe, respondi eu: Mas hoje, ao lembrar-me disso resolvi explicar melhor. Acho que em primeiro lugar não faço o blog, ele já faz parte de mim. Curioso? Estúpido! Dirão alguns... Consequentemente tudo o que escrevo ou que tiro de algum lado, é sentido, é vivido por mim. O blog é um amigo intimo com o qual partilho ansiedades, alegrias, tristezas. Percebeste, agora? É isto o meu bloguinho... Um amigo do peito. E como tal há dias em que nos dedicamos a ele, e há outros em que fica um pouco de lado, mas nunca, nunca esquecido! Jinhos
Isabel

sexta-feira, janeiro 26, 2007

Amo-te

Nas pequenas e nas grandes coisas, amo-te.
Na dor e na alegria, amo-te.
Na riqueza e na pobreza, amo-te.
No esplendor e no declinio, amo-te.
Na saúde e na doença, amo-te.

E quando meus lábios não poderem falar
olha em meus olhos e verás o quanto te amo.
Isabel

Eterna busca

Busco o reflexo do meu olhar, por todos os olhares...
Encontro ansiedade, dor, inveja
e de vez em quando, vida...
A angústia toma conta do meu ser...
Suspiro fundo, chamo minhas fantasias
e consigo aliviar minha alma
Percorro diariamente quilómetros e quilómetros
na ânsia de encontrar odores e imagens
que acalmam meus vulcões.
Encontro outros vulcões, entendo...
Não desanimo...
Quero a serenidade, num sonho ou sono...
Em um olhar perdido...
Numa música estranha...
A busca...
A eterna busca...
Reflexo de uma juventude viva...
De uns vulcões em erupção...
KK de Castro

quinta-feira, janeiro 25, 2007

A caixinha de sonhos


Ela ficava lá no canto do sonho
a caixinha de música.
Tinha uma bailarina mágica.
E eu com mãos trêmulas a tocava temerosa
de que o som acabasse um dia.
Era tão bela...
E eu sonhava que um dia ela fosse minha...
Nunca soube bem se o som vinha dela
ou dos sonhos que eu tinha...
Desconheço o autor

sábado, janeiro 20, 2007

Recadinho

Amar

Não cuspa para o ar que te pode cair em cima! Nunca troçes do amor. Nunca troças de quem ama. Nunca troças de quem sofre por amor. Não te rias das figuras patéticas que se fazem por amor. Um dia vira-se o feitiço contra o feiticeiro. O amor bate-te à porta e tu deixas-o entrar e sem te aperceberes ele está instalado. Veio para ficar. Tudo o que te parecia irrisório e enfadonho, começa agora a fazer sentido e começas a dar-lhe valor. Nada melhor que amar. Nada melhor que mudar de vida. O sorriso passa a ser constante. Os teus olhos brilham como nunca brilharam. E tu que não sabias o significado da palavra amor, compreendes agora, mais do que ninguém esse estado de espirito. Hoje tu estás a amar incondicionalmente. Continua pois, a amar assim, hoje e sempre.
Isabel

Para alguém muito especial

É-me muito dificil realizar aquilo a que me propôs. Não te posso identificar, não posso falar de nada que te faça reconheçer, não posso falar de actos concretos. Não sei como me vou desenrascar desta... Vou chamar-te de: Luchon. Onde raio fui buscar este nome? É a marca de água que está à minha frente... Já agora acrescento que é a melhor água do mundo!!! Vem dos Pirinéus e é mineral. (pareçe que estou a fazer propaganda). Mas vamos ao que interessa: Não te via à uns tempos. Reapareceste envolto numa aurela de brilho. Tanta luminosidade fere a vista, sabes? Que te fizeram? Só o amor provoca tais transformações! Será que chegou a tua hora? Tás lindo, por dentro e por fora! Deixa acontecer o que tiver que acontecer. Quem te ama, estará sempre do teu lado a apoiar-te. Eu, só quero ver-te eternamente feliz... Assim como estás... E já agora, eu sabia... Só não adivinho mesmo é os números do euromilhões...
Só parvoices, eu sei... Mas estou feliz por ti!
Isabel

quinta-feira, janeiro 18, 2007

Especialmente para ti

Cada vez que eu te abraçar...
Saiba que eu te amo.
Cada vez que eu te beijar...
Sinta que eu te amo.
Cada vez que eu te tocar...
Pense que eu te amo.
Cada vez que eu te olhar...
Descubra que eu te amo.
Cada vez que eu te falar...
Acredite que eu te amo.
E quando eu calar...
Não duvide que eu te amo.
E até mesmo se eu negar...
Você sabe que eu te amo.

E quando eu não mais puder te abraçar...
Quando eu não mais puder te beijar...
E nem puder te tocar...
Nem meus olhos puderem te olhar...
E meus lábios não puderem falar...

Não esquece que eu te amei tudo o que pude...
Fecha teus olhos, cala teus lábios, tenta escutar...
Cada batida do teu coração vai te dizer...
Que eu ainda te amo mesmo distante...
Em algum lugar..."
Socorro Capiberibe

Não espere me perder

Não espere me perder... Para me dar valor.
Não espere me perder... Para me enxergar.
Não espere me perder... Para provar o seu amor.
Não espere me perder... Para me reconquistar.
Não espere me perder... Para sentir a minha falta.
Não espere me perder... Para querer me procurar.
Não espere me perder... Para desejar me ter de volta.
Não arrisque me perder... Eu posso não querer voltar.

Tente, antes, me valorizar agora...
Enquanto ainda estou perto de você.
Tente, antes, me merecer agora...
Enquanto ainda sinto amor por você.
Tente, antes, me fazer feliz agora...
Enquanto ainda diferença faz.
Tente, ainda, me dar seu amor agora...
Amanhã, talvez, eu já não queira mais!
Socorro Capiberibe

Ontem e hoje

A vida é cheia de ses... Prega-nos partidas atrás de partidas. Já passei por muito: empregos perdidos, amores acabados, paixões desencontradas, morte do meu pai, outras pessoas queridas. Tudo superei, não sem muita dificuldade, mas superei. Caí para aprender a levantar-me. A vida é, aliás, uma eterna aprendizagem. Um pensamento acompanha-nos: e se eu tivesse optado por outro caminho? Teria sido diferente? Os erros pagam-se bem caros e sofre-se a sua consequência... Hoje quase não me reconheço. Olho para mim de maneira muito diferente. Libertei-me de ódios antigos que não me levavam a lado nenhum. Fantasmas desapareceram. Hoje estou muito mais serena, tranquila, segura de mim. Tenho prazer nas coisas simples da vida.
Vivo sem correrias.
Vejo côr onde dantes existia só preto, branco e cinzas.
E o mais importante: não me atormento por ses...
Isabel

quarta-feira, janeiro 17, 2007

Ficar contigo

"Uma rapariga perguntou a um rapaz se ele a achava bonita, ele disse que não. Ela perguntou se ele queria ficar com ela pela eternidade e ele disse que não. Então ela perguntou-lhe, se fosse embora ele iria chorar, e mais uma vez ele respondeu que não. Ela já tinha ouvido demais... Assim quando ela ia embora, lágrimas corriam na sua face. O rapaz agarrou no seu braço e disse... Tu não és bonita, és linda! Eu não quero ficar contigo para sempre... Eu preciso ficar contigo para sempre!
Eu não iria chorar se fosses embora...
Eu iria morrer!"

Desconheço o autor

O mundo lá fora

O mundo lá fora é cruel, dói. O mundo lá fora é de uma insanidade constante. Eu procuro entre as pessoas gestos normais de afeição e carinho, mas não os encontro. Todos correm, mas vão para onde? Ninguém se detém para sentar num banco de jardim, para observar o passarinho que vem ao caminho buscar uma migalha que alguém deixou cair, porque de tão apressada nem tempo tem de tomar o pequeno almoço em casa. O mundo lá fora é agreste. Carros, carros, barulho de travões rápidos, porque iam depressa demais. Buzinas que não param, de tocar, porque o carro da frente não arranca ao primeiro sinal de verde
O mundo lá fora é mecânico. Seremos robots?
Mas afinal para onde vão todos?
Isabel

segunda-feira, janeiro 15, 2007

Pensamento

"Às vezes o nosso coração vai pelo caminho
que a nossa cabeça decidiu não ir."

Brasil - Natal


Era bom, óptimo, divinal, mas acabou-se... Né Mano? Isso é que foram férias!!! 15 dias em terras brasileiras, calor, praia, sem ninguém para chatear com problemas familiares ou profissionais. O teu voo chegava hoje, às 06h. Hora imprópria para te ir ver (ihihihi) Estou a deixar-te descansar para daqui a pouco te telefonar, ou ligares tu. Quero o relato dessas férias paradisíacas.
Um beijo meu e da tua mãe

(que por sinal, também é a minha) (ihihihih).
Bela

Cinderela



Eles são duas crianças a viver esperanças, a saber sorrir.
Ela tem cabelos louros, ele tem tesouros para repartir.
Numa outra brincadeira passam mesmo à beira sempre sem falar.
Uns olhares envergonhados e são namorados sem ninguém pensar.
Foram juntos outro dia, como por magia, no autocarro, em pé.
Ele lá lhe disse, a medo: "O meu nome é Pedro e o teu qual é?
"Ela corou um pouquinho e respondeu baixinho: "Sou a Cinderela".
Quando a noite o envolveu ele adormeceu e sonhou com ela...
Então, Bate, bate coração
Louco, louco de ilusão
A idade assim não tem valor.
Crescer,vai dar tempo p'ra aprender,
Vai dar jeito p'ra viver
O teu primeiro amor.
Cinderela das histórias a avivar memórias, a deixar mistério
Já o fez andar na lua, no meio da rua e a chover a sério.
Ela, quando lá o viu, encharcado e frio, quase o abraçou.
Com a cara assim molhada ninguém deu por nada, ele até chorou...
E agora, nos recreios, dão os seus passeios, fazem muitos planos.
E dividem a merenda, tal como uma prenda que se dá nos anos.
E, num desses bons momentos, houve sentimentos a falar por si
Ele pegou na mão dela:
"Sabes Cinderela, eu gosto de ti..."
Carlos Paião

domingo, janeiro 14, 2007

Espreitem este link


Recebi este link de um amigo, antes do natal.
(Só agora estou com tempo para pôr
meu correio electrónico em dia... )
Achei uma delicia e, pois, aqui está ele:

sábado, janeiro 13, 2007

Carinho

" Há certas horas em que não precisamos de um amor, não precisamos de uma paixão desmedida, não queremos beijos na boca e nem corpos a se encontrarem na maciez de uma cama... Só queremos a mão no ombro, o abraço apertado ou mesmo, o estar ali, quietinho ao meu lado... Sem nada dizer... Desejamos uma presença amiga. Alguém para nos dizer: Porque estás triste? Ou, apenas alguém que nos diga: Sou teu amigo... E estou aqui.."


Desconheço o autor

Amor é...



Olharem, juntos, na mesma direcção...

quinta-feira, janeiro 11, 2007

Eu, as dietas, as soluções...




Escrever isto e aquilo


"Hoje não quero escrever isto
E mesmo assim escrevo: Isto
Isto. Isto. Isto. Isto. Infinito isto.
Teimosa. Sem juízo. Cheia.
E ninguém tem nada a ver
com meus istos
Se esperarem algo de mim,
desistam
E, por favor, não insistam comigo
Hoje não quero escrever isto
Hoje quero escrever " à quilo"
A alma pesa. Verga. Inclina.
Basta um acento, perco equilíbrio
Hoje não devo ser lida
Devo ser aferida
Preciso me desocupar
Desesquecer-me
Para voltar a escrever
sobre nada disto."

Gracias de Lunna


terça-feira, janeiro 09, 2007

Hora de voar do ninho


Deste-me papel e caneta no natal, estou a fazer uso deles agora e isto é para ti.
Mudar de vida. Chegou a altura de um novo caminho? Sentes que é a tua vontade, o teu querer? Sentes que é a seu lado que queres que o teu cabelo fique branco e o teu andar um pouco trôpego? Sentes que queres dar continuidade ao teu ser com os filhos que possam nascer da vossa união? Sentes segurança a seu lado? Então vai... Chegou a hora de saires do ninho. Sê feliz e que Deus te proteja. Tua amiga.
Bela

Riscos

Rir é correr riscos de parecer tolo. Chorar é correr riscos de parecer sentimental. Estender a mão é correr o risco de se envolver. Expôr seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu. Defender seus ideais diante de uma multidão é correr o risco de perder as pessoas. Amar é correr o risco de não ser correspondido. Viver é correr o risco de morrer. Confiar é correr o risco de se decepcionar. Tentar é correr o risco de fracassar. Mas devemos correr os riscos porque o maior perigo é não arriscar nada. Há pessoas que não correm nenhum risco. Não fazem nada, não têm nada e nada são. Elas podem até evitar sofrimento e desiluções mas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem.
Somente a pessoa que corre riscos é livre.

Seneca

Vulcão

Busco o reflexo do meu olhar por todos os olhares...
Encontro ansiedade, dor, inveja
e, de vez em quando, vida...
A angústia toma conta do meu ser...
suspiro fundo, chamo minhas fantasias
e consigo aliviar a alma.
Percorro diáriamente quilómetros e quilómetros
na ânsia de encontrar odores e imagens
que acalmem meu vulcão.
Encontro outros vulcões.
Entendo...
Não desanimo...
Quero serenidade...
Num sonho ou sono...
em um olhar perdido...
Numa música estranha.
A busca...
Eterna busca...
Reflexo de uma juventude viva...
De um vulcão em erupção...
Que eu fui...

KK de Castro

Parabéns Gaby

Que tenhas um dia lindo, não só o de hoje mas todos os que virão, e serão muitos certamente. Tás naquela fase de quase cota!!! (ihihihihih) Não!!! Fica descansada, que não digo aqui quantos são... Ainda te faltam 10 para me apanhares!!! Agora só me falta dizer que tenho 44 anos!!!! (Maldadezinha) (ihihihihih) (Desculpa) mas o que é significante é o espirito, agora a carcaça essa não importa.
Parabéns! Um jinho. Isa

segunda-feira, janeiro 08, 2007

Os Anjos de Gabriel


Hoje, uma amiga, que me veio fazer companhia para um café, sabendo que eu adoro ler e por já me ter falado deste livro, trouxe-mo para o ler. É um romance baseado numa história veridíca onde Gabriel assume a sua homossexualidade sem preconceitos nem tabus. Ao folhear as primeiras páginas deparei-me com esta oração matrimonial
dos Índios da América do Norte, que tendo-a achado tão bonita,
gostava de a partilhar com voçês:

"Agora não sentiremos a chuva porque cada um será abrigo para o outro. Agora não sentiremos o frio porque cada um será calor para o outro. Agora não há solidão. Somos dois corpos mas há uma única vida perante nós e uma única casa. Quando cair a noite olharei para cima e lá estarás tu. Tomarei a tua mão e tu tomarás a minha e juntos voltar-nos-emos para olhar a estrada que percorremos para atingirmos este momento: a hora da nossa felicidade. Alonga-se atrás de nós como o futuro se estende à nossa frente, uma estrada longa e ondulante onde cada curva significa descoberta, velhas esperanças, novo riso e lágrimas partilhadas.
A aventura começa agora."

domingo, janeiro 07, 2007

Rumos

É o que estou a fazer: ajustar as velas do meu barco. O vento empurrou-me para o meio de uma tempestade e eu não consegui, por mim própria, chegar a bom porto. A doença tomou conta do meu ser. Agora, com uma médica dedicadissíma, estou a tentar tomar outra vez as rédeas das minhas velas. Deus permita que o barco não se vire novamente. Sei que a recuperação vais ser muito lenta, mesmo muito lenta. Mas uma brisa virá todos os dias para me ajudar. Tenho a minha mãe, e amigos que me vão ajudar. E mais não me apetece dizer. Um grande beijo a todos.
Isabel

quinta-feira, janeiro 04, 2007

Atrasei-me Pai

Eu sei que foi ontem! Fazias anos, não era? 77... Adoravas fazer a tua festa, reunir a familia, assoprar o teu bolo de aniversário. Os teus olhos sorriam demais... E as prendas???? Gravatas... Camisas... Mas só gostavas das que a mãe ou eu te oferecíamos.. Eras esquisito? Não, só nós é que tinhamos bom gosto... Não estás fisicamente entre nós, mas estarás sempre nos nossos corações. Amo-te muito Pai.
Bela

Desato-me

Desato-me das muitas certezas
Que tiveram morada em meu olhar.
Em meio ao florescer da dúvida
E do transbordar de novas perguntas
Meus caminhos conhecem outros passos,
Sentindo o novo que a cada instante nasce.
Dispo-me da descrença, do langor
E deixo-me aspergir pelo esplendor
Deste tempo que me batiza
Em águas perfumadas de esperanças.
Na nau que me guia
Apenas o vento favorável
Mesmo no destino incerto
Em que velejam os meus sonhos.
Fernanda Guimarães

Amanhã

E aqui estou em 2007. Um ano encerrado e como tal não vale a pena falar mais dele. Interesa sim o que começamos, embora planos saiam sempre furados... "O homem põe e Deus dispõe" portanto resigno-me à minha "insignificância" e vou viver um dia de cada vez. Bato com a porta no passado e encaro só o futuro incerto. Viro costas a ontem e espero tranquila por amanhã.
Isabel