+ Isa Land: Novembro 2006

Isa Land

"Deus nos concede, a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta." (Chico Xavier)

A minha fotografia
Nome:
Localização: lisboa, Portugal

Uma mulher com muitas virtudes e alguns defeitos. Bem disposta por natureza... mas se me irritam muito... saiam debaixo. Vou aonde o coração me levar... Sou sportinguista... Enfim boa pessoa!!!

quinta-feira, novembro 30, 2006

Bye Bye Novembro

Estamos a chegar ao fim do ano. Mais uma página virada no calendário. Foi mês de férias para mim. Aproveitei para organizar as "tralhas" da minha casa. Pôs um pouco a vida em ordem, pelo menos até à próxima vez em que reorganizar tudo novamente... A vida é assim: organiza-se, reorganiza-se, torna-se a organizar... ihihihih (estou a gostar da palavra organizar). As castanhas, a água pé e a jeropiga, tão tipicas do S. Martinho, essas, nem as provei... Neste mês, dia um, (todos os santos) presta-se homenagem aos mortos, nossos queridos. Enchem-se os cemitérios de velas e flores. O tempo, trouxe muitas alterações: chuvas, ventos fortes, trovoadas, barragens cheias, como à muito não acontecia. Passou-se... Não me vem à memória nada mais de especial... E preparem-se para o mês da azáfama das compras, dos corropios em centros comerciais, das filas de trânsito... Até para o mês que vem.
Isabel

quarta-feira, novembro 29, 2006

Salas de chuto

E hoje, já que acordei em dia não, ainda me falta falar da noticia que ouvi logo pela fresquinha: Decisão sobre criação de salas de chuto em Lisboa! Sei que sou muito básica nos meus pensamentos e reacções, mas por amor de Deus, esses meninos e meninas porque não deixam o vicio e vão trabalhar? Não admito tal! Quando este país não se preocupa com o bem estar dos nossos velhos, animais e crianças, vão criar salas de chuto para os drogados serem assistidos???? Os meus descontos vão para isto??? Estou sujeita daqui a 20 anos ser reformada, sem o estado ter dinheiro para me pagar e vão pagar assistências a drogados? (esses mesmo que se precisarem, matam pai e mãe por causa de dinheiro para o vicio) Mas que país é este???? Só se droga quem quer! Hoje em dia a informação chega a todo o lado. Todos sabem a implicação que pode ter experimentar uma primeira vez. Não aceito! Já agora salas para a copofonia... Ainda me custa a acreditar que ouvi esta noticia...
Isabel

Magia de Natal

Mas que magia? Todos os anos as mesmas atitudes, as mesmas acções... Ser bonzinho... Fazer caridade... Azevias, bolo rei, coscorões... Prendas, prendas, (comprar, comprar com o dinheiro que nem se tem). Roupinha nova para estrear a dia 25. Enfeitar a casa (com 2 meses de antecedência) ridiculo!!! Luzinhas, muitas luzinhas, mesmo que a nossa alma se sinta às escuras e sem entusiasmo (e não esquecer as luzinhas nas janelas e varandas para iluminar a rua inteira, o bairro todo). Música, muito jingle bell jingle bell... Pronto, não vou implicar mais... Ainda falta um mês para o dia de Natal! Mas que, para variar não tenho entusiasmo, lá isso, não tenho mesmo!!!
Isabel

Estou....

Estou perto
Estou longe
Nem sei onde estou
Não quero pensar em lugares comuns
Não quero pensar que a solidão voltou.
Vou pensar que em qualquer parte do sonho
Estou a descansar...
E aí, dona de mim
Voltarei a ser eu,
E num momento viver uma vida.
Isabel

terça-feira, novembro 28, 2006

Crianças

Sim... Pois... Eu sei.... Sim... Já fui criança... E daí??? Chocado? Porquê? É obrigatório gostar de crianças? Dizer que são todas tão lindas quando há crianças feias. A mania que os papás e mamãs têm de dizer: dá um beijinho à... Eu tenho que gostar de um beijo todo melaço dos rebuçados ou gomas? Nem pensar!!! E as birras? Os meus ouvidos são muitos sensiveis... São chatas, isso sim!!! Ter que correr atrás delas por não saberem estar quietas... E aquelas perguntas para as quais nem sei responder? E porque todos os adultos olham com cara de parvos para as graçinhas (muitas vezes sem graça nenhuma) de uma criança? Deve ser por ser criança mesmo, não vejo outra explicação. Enfim... Haja paciência! Quem disse que o melhor do mundo são as crianças???? Eu não fui concerteza e assumo-o!!! Vá podem chamar: egoista, fria, insensivel, etc... Estão á vontade. Mas a minha atenção não está para aí virada...
Isabel

segunda-feira, novembro 20, 2006

Miguel

E surgindo do nada, eis que vejo escrito no canto do computador: Miguel says: Olá! Não acredito, ao fim de 3, 4, 5 meses... (Sou muito imprecisa em datas) Ao alcance de uma tecla, ali estava o que eu considero um bom amigo. Nunca nos conheçemos pessoalmente. Talvez pela distância (eu em Lisboa, ele no Porto) Das boas coisas que a net nos pode trazer: um amigo virtual com quem desabafei alguns dissabores da minha vida. Ah Miguel, tinha saudades tuas (e tenho) Continua com as tuas poesias. Continua a acelerar pela estrada da vida. Continua com os teus sonhos, meu querido gémeo. Um beijo com muita amizade.
Isabel

domingo, novembro 19, 2006

Assim não dá...

Somos tão diferentes... Tu és o dia eu a noite, tu és a terra eu o ar. Tu gostas de doces, eu de salgados. Eu sou loira tu gostas de morenas. Eu gosto de água tu preferes vinho. Tu gostas de massa eu quero arroz. Tu gostas de peixe eu prefiro carne. Eu prefiro a praia, tu queres campo. Eu gosto de rosa, tu de azul. Eu quero ver um filme, tu um debate. Tu és o sol e eu a lua... São impossíveis de coabitarem ao mesmo tempo. Assim como nós. Não dá... No próximo cruzamento tu viras à esquerda e eu à direita...
Isabel

sábado, novembro 18, 2006

Atalho do destino


Somente tuas mãos sabem de mim
Quando me buscam em noites sem fim
É que são teus lábios minha senha
Quando o balé dos teus dedos,
Colhe as saudades que dizem de ti
E resgatas do silêncio do meu corpo
Os vendavais de carícias e delírios
Que te guardam em minha pele
São teus os arrepios, o desejo insone
Oferecendo-se ao ardor do teu toque
Tens-me assim sempre em súplica
A te esperar em horas insuspeitas
Como se fosse tua boca atalho
Para minhas chegadas e partidas
Porque é para ti que sempre regresso
Quando o destino do meu corpo
Pede-me por um caminho...
Fernanda Guimarães

Amor em simultâneo

sexta-feira, novembro 17, 2006

Fechar ou abrir porta?


Acabei de mandar-te uma mensagem: Não venhas! Sou parva... Eu sei. Se com essa mensagem estou a fechar a porta a um novo cenário, também é certo que mais tarde posso abri-la e quem sabe, em vez de abri-la num dia de chuva e frio (como o de hoje) não o poderei fazer num dia cheio de sol? As coisas acontecem quando têm que acontecer. Não te imponhas. Isso faz-me afastar. Quem disse que ser "cota" é sinonimo de certezas?
Eu de certezas, só tenho uma: não mais me magoar...
Isabel

Frase

"Nada substitui o amor, senão a memória do amor."

Yannis Ritsos

Entre um amor e outro ficamos com a memória e é ela que nos faz crescer. Aprendemos quando ao ficarmos sós, a memória nos faz recordar, sendo muito mais maduro o reconhecimento do que foi certo e errado. Fazemos planos futuros onde nos comprometemos connosco próprios a não ceder aos mesmos disparates cometidos, aos mesmos erros, aos mesmos devaneios. Mas o amor é uma essência tão imprevisivel, tão vulcanizadora que a memória nos atraiçoa e não nos faz lembrar os trambolhões que tivemos. E, aí toca a escorregar uma e outra vez. E entre uma escorregadela e outra vamos tendo falhas de memória e investimos em novo amor. São circulos atrás de circulos e isso chama-se viver.

Isabel

quarta-feira, novembro 15, 2006

Parabéns Micos

Surpresa!!!
Viva o Micos. Viva!!!
Viva um aniversário que não esqueci!!! Viva!!!
Uma beijoca grandeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

Olá Pai

Que mais te posso oferecer, além de cravos vermelhos, que tanto gostavas? Lembras, cá em casa, ninguém os apreciava... Mas tu teimavas sempre nessas flores... E desde 1994, sempre ao dia 15 é colocado na tua sepultura essas flores. São doze anos de saudade, são doze anos de uma falta que é impossivel preencher. Estes cravos são a minha homenagem no dia de hoje. E como tenho a voz embargada,
amanhã tornamos a falar...
Um grande beijo, tua filha
Bela

quarta-feira, novembro 08, 2006

Adeus!

Sinto falta de ti

Sinto falta dos teus beijos, dos teus abraços. Sinto falta do teu cheiro. Sinto falta da tua presença. Sinto falta do roçar dos teus lábios nos meus, dos teus sussurros em meus ouvidos. Sinto falta das tuas mãos. Sinto falta de ti, do teu jeito de andar, do teu olhar. O teu lugar continua vazio. Não tardes mais.
És a minha fruta fora de época...
Isabel

Amar e ser amado

Qual o melhor? Amar é bom, é sentir que queremos alguém dos pés à cabeça, é querer que esse alguém nos pertença ( não me venham com conversas contrárias). Amar é ser primário, irracional, louco. Ser amado. Há algo melhor? Sentirmos que aquela pessoa tudo faz por nós. Que se rende a nossos pés... Que somos o seu amanhecer e anoitecer. Mas quando as duas coisas se juntam...
Ah, aí, sim... Tudo explode em nosso redor.
És o meu rei e eu, a tua rainha... Amar e ser amado....

Isabel

segunda-feira, novembro 06, 2006

Noite de Outono

Noite dos meus amores, noite das minhas paixões, noite dos meus devaneios, das minhas tristezas. Ao longe o soar dos trovões. A chuva emerge, tal como uma orquestra afinada, também ela cai a preceito, primeiro timidamente, depois bem ritmada. É noite. Noite de encantos, noite de memórias, noite de certezas, noite de fantasias. Uma garrafa de vinho maduro. E porque não? Ambas são escuras. Bebo um pouco. O calor da lareira envolve e aconchega meu corpo, meus sentidos, minhas emoções.
Um único senão: Noite de solidão...
Isabel

Segunda feira

Então que cara é essa amigos? Que disposição...
Meu Deus estão para engolir alguém!
Sim, eu sei que está a chover e trovejar,
mas é motivo para esse péssimo humor?
Ah, começou uma semana de trabalho...
Pois... E falta energia...
Pois, estou a ver...
Então para vocês o segredo da minha gargalhada hoje:
Estou de Férias!!!!
Ok, pronto, vou já embora...
Não os irrito mais....
Rsrsrsrsr.
Jinhos para todos.
Isabel

Simplesmente Saudade

Hoje não quero outro destino
Que não me abrigar em tua lembrança.
Divago no longe onde te imagino,
Entregue à memória de tudo.
À minha volta, a nossa história,
Um mar de indagações,
O musgo do que me foi lícito saber,
O contorno da escuridão
Em imagens que sombreiam
A nitidez que busca o olhar.
Além de todos os muros,
Onde te guardaste deste amor
E de todos os passos
Que hesitaste em caminhar
Sempre restará o sonho
De te veres em meu olhar.
Dentro de mim, uma vaga esperança,
Onde o olhar ainda borda estrelas
Em madrugadas de espera
À espreita da tua volta...
Fernanda Guimarães

Paisagem do meu olhar

Nada me espera nesta manhã.
As palavras passeiam em silêncio
À sombra da desordem dos sentidos.
Todas as perguntas que não fiz
Tocam-me os olhares de poente.
Nas mãos, a impaciência do tempo
Contorce-se em pressa e solidão.
No sopro do pensamento,
Espreguiça-se uma lembrança qualquer.
Há dias em que a saudade
É um ruído noturno, acordando o sono.
É um reflexo de um rosto na penumbra,
Insone em interrogações e súplicas.
É a imagem incontida do desejo, do sonho
Que apenas banha-nos os olhos
Feito uma confissão de lágrimas silenciadas.
Fernanda Guimarães

domingo, novembro 05, 2006

Saddam Hussein

Condenado à pena de morte.
"Quem com ferros mata, com ferros morre"
E nunca sera feita justiça...
Quantas vezes teria que morrer este assassino?