+ Isa Land: Maio 2006

Isa Land

"Deus nos concede, a cada dia, uma página de vida nova no livro do tempo. Aquilo que colocarmos nela, corre por nossa conta." (Chico Xavier)

A minha fotografia
Nome:
Localização: lisboa, Portugal

Uma mulher com muitas virtudes e alguns defeitos. Bem disposta por natureza... mas se me irritam muito... saiam debaixo. Vou aonde o coração me levar... Sou sportinguista... Enfim boa pessoa!!!

quarta-feira, maio 31, 2006

Adeus Maio


E mais um mês se foi... Como o tempo passa rápido. O mês das flores, das rosas, por excelência, ou não seria o meu mês! (Gaba-te cesto que amanhã vais à vindima) Um mês que leva consigo o meu aniversário, o dia da Mãe, o dia do trabalhador, o 13 de Maio (Nª Srª de Fátima). Para ficar, deixa o calor! Quente demais para o meu gosto, mas enfim... A inauguração da época balnear. Tive uns dias de praia fabulosos, sem muitas ondas, maré baixa... Pessoalmente minha Pantufa esteve sempre bem. Análises com valores normais! (O que para mim, é uma das coisas mais importantes!) Nada mais me ocorre... Ah, muito importante: A oferta deste computador! "Bigado" Alexandra! Tiraste-me o sossego do meu lar doce lar!!! Rsrsrsrsrs... Que posso fazer para agradecer-te? Que te posso dar? Tens a minha amizade, o meu estar aqui quando precisares de mim. Quero agradecer a todos/as que me têm vindo visitar e deixam seus comentários. Encontramo-nos em Junho, ok? Jinhos.

Isabel

Estou de volta

E cá estou de volta, após uma folga de cinco dias. Sem ideias, mas isso últimamente é para não variar... No escurinho do meu quarto e olhando ora para a Pantufa ( quem não sabe è a minha cadela) ora para a tv, ora para o monitor deste pc, procuro, sem saber o quê e para quê... Entra um arzinho fresco pelas frestas dos estores.. Bom...... A Pantufa levanta as orelhas e diz-me, deixa-te de tretas e deita-te que estás a incomodar-me com esse bater de teclas... A televisão, essa nem sei o que estava a dar, via sem nada ver e desliguei-a. Melhor assim, preciso de um pouco de silêncio! Raio do trânsito que não pára! Também quem manda eu morar numa rua principal???Aguardo... Continuo à espera... Quem sabe, escrevo qualquer coisita com jeito... Escusado. Depois do regresso à cidade, o que preciso é mesmo descansar. Ainda continuo a olhar mas, para quê insistir? Teimosa mesmo! Vou mas é deitar...
Isabel

quinta-feira, maio 25, 2006

Hoje fiz Anos!!!

Hoje Fiz aninhos! Pois.. Mais um... Sim, fiz 44 anos. Idade interessante dirão alguns, outros chamar-me-ão cota! Nada disso me interessa. Só me importa que realmente hoje senti-me bem do alto dos meus quarenta e quatro anos! Acima de tudo sinto-me bem comigo própria! Quero agradecer a todos/as os que me mimaram! Bigado!!! Se mereço ou não, isso agora não interessa, Bigado Ninos e Ninas. (Estou tão simpática...) Agradeço as prendas recebidas e flores! Se as mereci? Isso, agora tb não vem ao caso!!! Ah, também as mensagens e telefonemas que me fizeram! Este ano,realmente foi demais! Será que me portei bem? Também, lá está, isso agora.... E a quem me fez companhia neste dia. Foi importante, sim. Senti-me estimada. Obrigado uma vez mais! E tenho que agradecer a umas pessoas muito especiais. Aos meus pais. A ti Mãe que continuas a acompanhar-me fisicamente no meu dia a dia, a ti Pai que me acompanhas noutra dimensão! Bigado a Vocês! Amo-os muito! E pronto lá acabo eu o dia com a lágrima no olho... Quanto mais cota mais sensivel. Beijos a todos/as

segunda-feira, maio 22, 2006

Meu Anjo

Onde foi que me soltei da mão do meu Anjo? Em que atalho desta vida me perdi? Onde foi que me afastei do trilho de algodão que me ajudavas a percorrer? Não escutei os teus sinais... Atravessei águas turvas, caminhos sinuosos. Não vi a realidade... Mas mantive-me fiel aos castelos encantados, aos sonhos idealizados. Ajuda-me a reinventar novo caminho. Ajuda-me a atravessar a ponte quebradiça. Solta, meu anjo, solta minha voz, meu coração, meus sentimentos perdidos.
Isabel

sábado, maio 20, 2006

Amor ou Amizade

"Perguntei a um sábio,
A diferença que havia
Entre o amor e amizade
Ele me disse essa verdade...
O amor é mais
O amor dá-nos asas,
A amizade o chão.
No amor há mais carinho,
Na amizade compreensão.
O amor é plantado
E com carinho cultivado,
A amizade vem com
troca de alegria e tristeza,
Torna-se uma grande e querida companheira.
Mas quando o amor é sincero,
E quando a amizade é concreta,
Ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo ou uma
Grande paixão,
Ambos os sentimentos coexistem,
Dentro do nosso coração."

Espanto

Gosto de tudo o que me causa espanto.
É como ver nascer uma outra realidade
ou ver morrer o que, até aí, era verdade.
Se umas vezes dói, outras nem tanto,
porque o espanto não está na ocorrência,
mas no nível da minha consciência,
que, confrontada com o que desconhecia,
cede ou resiste, mas regista a mais-valia.
Afinal, viver é isto mesmo – sentir
com o corpo e com a alma e assumir
as certezas abaladas pelo espanto
que ora causa alegria ou dor, encanto ou desencanto,
até ao dia em que nada me espantar...

Desconheço o autor

Ponto de Cruz

Mais um quadrito, feito por mim. Outro "jardim de inverno". E sabem uma coisa? Até tenho saudades de fazer ponto de cruz... O tempo não tem sido muito, sim, porque este blog rouba-me todos os minutos... Mas já comprei pano, falta-me escolher um desenho que me agrade, e quanto mais não seja, para as férias começo!

Onde andas imaginação?

Onde andas imaginação minha? Por onde andas tu? Não sei versar nem sou poeta, nem pretensões a tal, mas gosto de escrever. Sempre gostei. Desde a minha adolescência que tinha um caderno e uma caneta a acompanharem-me nas horas de maior solidão. Uns periodos de maior necessidade de desabafar, outros com menos, tal como a lua umas vezes escondida, outras bem visivel, e sempre a fazer do meu caderno, o meu grande confidente... Quantas histórias escrevi? De quantas fui a personagem principal? Quantas histórias realizei? Argumentei? Produzi? Ah esta imaginação... E agora que preciso escrever para o meu bloguinho, nada me ocorre! Mas não me preocupo. Enquanto eu sonhar, enquanto eu for gente, mais tarde ou mais cedo, ela aparece.
Isabel

Amigos

Eu poderia suportar, embora não sem dor,
que tivessem morrido todos os meus amores,
mas enlouqueceria se morressem os meus amigos!
A alguns deles não procuro,
basta-me saber que eles existem.
Esta mera condição me encoraja
a seguir em frente pela vida...
Vinícius de Moraes

Frase

"Sonha o que queres sonhar, vai aonde queres ir, concretiza o que queres ser, porque só há uma vida e uma oportunidade para fazeres todas as coisas que pretendes fazer"

Quando...

Quando a saudade visitar tua casa,
Abre-lhe a porta, ela é confiável.
Ela é visita sempre inevitável
Quando uma ausência queima feito brasa.
Se ela disser que vem para ficar,
Não tenhas medo, é boa companhia.
Tua casa, assim, não ficará vazia.
Ela só vem para te acalentar.
Acalentar teu coração ferido
Pela tristeza, por um bem perdido,
Pelas angústias do irremediável.
Aceita a vinda dessa doce amiga.
Ela é o abraço que te aquece e abriga
Das tempestades do irrecuperável.
Silvia Schmidt

O jeito do Amor

O amor á assim, vai chegando de mansinho,
Vai se alojando em nosso coração,
Sopra seus ventos, muda a direcção
Do nosso rumo e faz o seu caminho...
O amor é assim, põe fogo na paixão,
E vai queimando bem devagarinho,
A gente vai no embalo do carinho,
Sem perceber que ronda a solidão...
O amor é assim, um dia ele adormece,
Do nosso sonho logo ele se esquece
E nós ficamos a falar sózinhos...
Somos assim, deixamos que o amor
Durma à vontade e, seja como for,
Sempre acordamos para outros carinhos...

Silvia Schmidt

terça-feira, maio 16, 2006

Frase

Viagem Astral

Chamo-te na noite...
Em sonhos viajo contigo
Por entre mundos paralelos
Onde eu reinvento a nossa história
E a decoro com as cores certas
As cores com que te pinto
Na tela do meu coração
São momentos em que me dou
E em que te dás
Momentos só nossos
Em que as nossas almas vagueiam
Unidas por entre os canais
Da minha imaginação.
Levo-te a um jardim suspenso no céu
Por entre estrelas cintilantes
Sentamo-nos á beira de um riacho
Ouvimos o chiar das cotovias
Caminhamos descalços lado a lado
Sentindo a maciez da relva
Em nossos pés
Afagas-me o rosto com ternura
Acaricias-me as mãos
Lanças-me aquele olhar cúmplice
E erguemos os nossos corpos aos céus
Passando pelas constelações
Admirando o seu brilho
E ao regressar despeço-me
Retirando do peito o meu coração
E colocando-o nas tuas mãos
Para que ele continue a bater
Bem pertinho do teu...

(Tatooblue)

domingo, maio 14, 2006

Nas asas do sonho

"Voa pássaro sem asas
Voa para desbravares
Os segredos mais ocultos
Que encerram os montes e vales
Que ninguém ousou imaginar
Voa ao sabor do vento
Sentindo-o atravessar
O centro da tua alma
E aos céus te elevar

Leva-me em pensamento
E eu voarei contigo
Lado a lado e de mãos dadas
Como cumplices que somos
Na pureza e sinceridade
Gémeos na simplicidade
Voarei contigo porque farei parte
Das nuvens e do arco-íris
Que esconde as cores do nosso amor"

Aqui e Agora

O minuto que você está a viver agora é o minuto mais importante da sua vida! Onde quer que você esteja, preste atenção ao que está a fazer. O ontem já lhe fugiu das mãos... O amanhã pode não chegar... Por isso, viva o momento presente, fazendo-o único e insubstituível. Dele pode depender o seu futuro. Aproveite-o ao máximo pois ele não se irá repetir. Procure tirar o maior partido possivel das suas acções para continuar o seu aperfeiçoamento como ser humano.
Isabel

Tony Carreira

E mais uma noite de delirio, que esgotou por completo o Pavilhão Atlântico. Tu mereces, por tanta simpatia, humildade, e por tanto fazeres as pessoas sonharem com as tuas cantigas. Não esqueço que um dia estive duas horas, após um concerto, para receber um autografo, e apesar do cansaço, apesar do adiantado da madrugado, continuavas com um sorriso lindo e a falar com os teus fãs. É assim que se fazem os grandes artistas. E tu és o maior. Aqui deixo uma das tuas letras que penso reflectir um pouco de ti:

A ESTRADA E EU
É quase madrugada
A estrada está molhada
E eu sozinho
O sol já terminou
E como sempre eu vou
Vou sozinho
Depois da multidão
Lá volta a solidão
Mais um hotel me espera
Depois outra terra
E o destino
Destino que eu escolhi
E que eu sonhei p’ra mim
Desde menino
E o que faz viver
E a solidão vencer
Como eu digo nas minhas canções
Tenho tudo e não tenho ninguém
Posso até chorar por mil razões
Mas estou bem
Aprendi a ser feliz assim
Que me importa sozinho acordar
Se por momentos tenho tudo em mim
A cantar eu esqueço qualquer dor
Os desgostos que a vida tem uma canção de amor
E lá vou eu
A estrada e eu
Mais uma madrugada
Outra noite acaba
Como sempre
Lá volto a estar sozinho
Eu e o meu caminho
Como sempre
Depois da multidão
De novo solidão

sábado, maio 13, 2006

Em algum lugar do passado


"Em algum lugar do passado
Você existiu para mim,E
eu já sabia
Que assim virias...

Em algum lugar do passado,
Fomos, nós dois,
Brisa fresca,
Rosas em flor...

Em algum lugar do passado,
Te amei,
Te guardei,
Você me amou e cativou...

Em algum lugar do passado,
Nossos corpos e corações
Foram um só,
Melodia interminável
De nosso amor sem fim...

Em algum lugar do passado,
Nos deixamos
Com a certeza do reencontro,
Como sabemos agora,
Que nos encontramos...

Em algum lugar do passado,
Prometemos jamais nos esquecer
E, agora, no presente,
Carregamos sempre viva as lembranças
Deste tão sublime querer...

Em algum lugar do passado,
Fomos felizes,
Fomos amantes,
Como a flor e a raiz,
O mar e a areia,
Deste amor sem igual...

Em algum lugar do passado,
Dançamos com o vento,
Corremos pela praia
E tivemos sonhos vindouros
Deste amor infinito
Que jamais nos deixaria...

Em algum lugar do presente,
Nos reencontramos...
Palavras, atitudes
Que despertam as lembranças das almas,
Que sabiam se conhecer...

Em algum lugar do presente,
Olhares, gestos, toques,
Sensações indescritíveis,
Que somente nossos corações identificam...

Em algum lugar do presente,
Saberemos o que somos
E o que fomos:
Luz do sol,
Amor verdadeiro,
Nesta busca insaciável
De nós dois...

Em algum lugar do passado...
Em algum lugar do presente... "

Estou onde...

" Vivo nas crinas do vento
E na atmosfera perdida
A correr atrás do tempo
Que me deixa esquecida

Estou nas ondas do mar
Como barco encantado
Ouço as Sereias cantar
Melodias do passado

Estou aqui e ali
Sem saber onde vou.
Julgo que nunca me vi
Nem sequer sei onde estou

Estou onde tudo se esquece,
Onde se perde o pensamento.
Estou onde nada aparece
Para além do esquecimento."

sexta-feira, maio 12, 2006

Todo O Tempo Do Mundo

Podes vir a qualquer hora
Cá estarei para te ouvir
O que tenho para fazer
Posso fazer a seguir
Podes vir quando quiseres
Já fui onde tinha de ir
Resolvi os compromissos
agora só te quero ouvir
Podes-me interromper
e contar a tua história
Do dia que aconteceu
A tua pequena glória
O teu pequeno troféu
Todo o tempo do mundo
para ti tenho todo o tempo do mundo
Todo o tempo do mundo
Houve um tempo em que julguei
Que o valor do que fazia
Era tal que se eu parasse
o mundo à volta ruía
E tu vinhas e falavas
falavas e eu não ouvia
E depois já nem falavas
E eu já mal te conhecia
Agora em tudo o que faço
O tempo é tão relativo
Podes vir por um abraço
Podes vir sem ter motivo
Tens em mim o teu espaço
Todo o tempo do mundo
para ti tenho todo o tempo do mundo
Todo o tempo do mundo
Carlos Tê / Rui Veloso

Nunca Chore

Em todos os minutos, em todas as horas, em qualquer dia, há sempre uma mulher, em algum ponto deste planeta, a chorar por um homem, por um amor acabado, por sentir a indiferença do seu amado. Amiga, sinceramente, acha que ele merece suas lágrimas? Se a está a fazer chorar, só isso, por si mesmo é cruel. Sem querer conflitos com o homem... Mas esse "bicho" é bravo mesmo! Seja qual for o motivo, amiga, limpe esses olhos, olhe o espelho, esboçe um sorriso... Vá você é capaz! Isso... Você é forte! Só uma mulher pode ser forte mesmo! Corte com esse cordão umbilical! Deixe de amar demais. Quem ama demasiado, quem se entrega demasiado, sofre. E ninguém nasceu para sofrer! Por isso... Empine o nariz e saia para o mundo ver que você não se deixa substimar. Eu já chorei por um homem. Hoje não daria esse gostinho a nenhum.
Um beijo a quem sofre.
Isabel

Frase

quinta-feira, maio 11, 2006

Amar


Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente...
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca

As Minhas Receitas

Bolo Encharcado

Ingredientes:
1 chávena margarina
2 chávenas açucar
3 chávenas farinha
1 chávena de leite
4 ovos
1 colher (sopa) fermento em pó
1 colher (sopa) de rum (facultativo)
Raspa de limão.

Para a calda:
1 chávena de açucar
1/2 chávena de leite
Raspa de limão

Bate-se a margarina com o açucar, junta-se os ovos e alternadamente a farinha com o fermento, o leite, o rum e a raspa de limão. Untar a forma com margarina e enfarinhá-la bem. Leve ao forno. Entretanto prepare a calda: leve o açucar, a lume brando, juntamente com o leite e a raspa de limão. Mexa de vez em quando até estar cremoso e retire do lume. Quando o bolo estiver cozido desenforme-o e regue com este preparado. Espete com um palito para absorver melhor. Delicia! Bom apetite

Blá Blá

Pessoas especias falam sobre ideais...
Pessoas comuns falam sobre coisas...
Pessoas medíocres falam de outras pessoas...

Livros


Um livro fabuloso, tocante, comovente. A facilidade com que Nicholas Sparks nos leva à maior reflexão sobre o amor e as coisas do coração, aos nossos sentimentos mais profundos, é impressionante. Ao ler este livro apercebo-me que nada neste mundo é eterno e não vale a pena deambularmos sem destino. Se queremos ser felizes temos que esquecer o passado e viver o presente com todos os dons e vivacidades. Já li e reli algumas vezes, mas nunca me canso desta "obra de arte". Dá-me sempre um nó na garganta, que acaba por me fazer chorar. O melhor livro que alguma vez li, definitivamente.
Isabel

quarta-feira, maio 10, 2006

Poesia

Afinidade

"É quando, sem haver prévias palavras,
se partilham as mesmas sensações,
se vivenciam semelhantes emoções,
mesmo que as vidas decorram separadas.

Basta um sorriso, um gesto ou um olhar,
para que haja, entre afins,entendimento
e comunguem do mesmo pensamento,
sem precisarem, sequer, de o formular.

E a maior evidência ocorre quando
existe tanta e tal cumplicidade
que agem em total conformidade,
como quem vive dançando o mesmo tango."

sexta-feira, maio 05, 2006

Olá "Avó"

Não penses que me ia esquecer de ti neste dia... Olha como estamos bem as duas.... Isto também é uma surpresa para a minha dona...
Quero agradecer-te por sempre estares pronta a cuidar de mim, na ausência da minha "Mãe".
(PS. Desculpa as mordidelas, mas tu queres abrigar-me a comer... Eu sei que é pela minha saúde... A comemoração é só dia 7, mas como vamos estar as três a passear, não posso vir aqui... e então como me ensinaste que trabalho feito não mete medo... Estou já hoje a desejar-te um Feliz Dia)

Pantufa

Para Ti Mãe

Estou cansada e sem idéias, depois de mais um dia de trabalho. Jantámos e a cozinha está arrumada. Sento-me no sofá e relaxo um pouco. Sei que vem aí o dia da Mãe e como habitualmente dizes que nada queres. Que te posso oferecer? Todos os anos as mesmas questões...
De repente os meus olhos poisam na gaveta do móvel do corredor. Está cheio de albúns, de fotos antigas. Ponho a mão no puxador e devagarinho abro-a, como se de lá saltam-se lembranças vivas.
Olha estas mãe:



Algumas lágrimas me afloram aos olhos.Que saudades...Recordo que o teu orçamento esticava sempre um pouquinho mais para nos dares um miminho... Recordo os bolos e bolachinhas que todos os fins de semana fazias... Ensinaste-me que existe um Deus que ama e perdoa. Que o amor é infinito. Ensinaste-me que todos os caminhos são possiveis, desde que trilhados com honestidade. Obrigado por me teres posto debaixo das tuas asas de mãe galinha, quando o mundo desabou a meus pés. Obrigado por me amares mesmo quando eu não o merecia... E quando tiveres que me deixar mamã, enganemos o destino!... E ficas comigo para sempre, escondida na minha alma. Obrigado pelo teu amor. Obrigado por tudo.

(PS: Desculpa a singela prenda, mas é o melhor, que te posso dar. Foto tua, do papá e do mano... )

quinta-feira, maio 04, 2006

Efémero

Surgiste do nevoeiro. Arrebatas-te o ser. Inundaste-me de luz. Deixou de existir o mundo lá fora. Dêmo-nos tudo. E tudo foi demais. Paixão avassaladora, como todas as paixões morrem depressa, como o mar morre na beira da praia.E o nevoeiro que te fez surgir, foi o mesmo nevoeiro que te tragou novamente. Deixei-te ir... Outro "D. Sebastião" voltará...
Isabel

Se alguém

Paleta de Côres

Pego na minha paleta de côres, sinto-me com inspiração, pincelo um pouco. Abstraio-me do mundo lá fora. Um pouco de verde aqui. Um pouco de lilás ali... Olha aquele canto a pedir um pouco de carmim... Afasto-me. Levanto o polegar. Um retoque naquele redondo... Vou misturar estes dois tons! É mesmo o castanho que pretendia! Falta um pouco de amarelo naquela aresta... E o céu? Só pode ser azul. Volto a afastar-me... Admiro a minha obra prima, como só os olhos dos pintores, podem ver... com o coração... Refleti naquela tela, naquelas côres, um pouco do meu estado de espirito!
Hoje estou mesmo arco iris.
Isabel

Marcas de Vida...

Contemplei-me ao espelho, reparei que pequenas rugas se formam em meus olhos. A pele já não tem a frescura de outrora.
Marcas de uma vida nem sempre feliz. Não plantei nenhuma árvore, não escrevi um livro, nem fui mãe. E cheguei aos 44 anos... Como o tempo passa veloz... Sinto-me uma caça, sem caçador, percorrendo a planicie em busca de um abrigo seguro. E se num passe de mágica, estalasse os dedos e voltasse ao útero materno? E renascendo, talvez encontrasse uma toca acolhedora onde pudesse escrever, então, um livro, ser mãe e plantar a minha árvore, que tal como o conto do "pé de feijão mágico" crescesse até ao céu...
Isabel

quarta-feira, maio 03, 2006

Viver


"Às vezes não se tem noção
Do tempo que passou
Às vezes não se tem noção
Da vida que mudou
Nossos pontos de referência
Marcam os períodos
Contamos os anos e ficamos perdidos...
Lembramos do que acreditávamos
E o que gostávamos de fazer
Alguns hábitos mudaram
Outros hão de permanecer...
Só sei que passou muito rápido
Rápido demais!
É estranho saber
Que fiz tanta coisa
Sem perceber
E em tão pouco tempo..."

Ajuda

"Quantas vezes o silêncio
é um turbilhão de palavras,
que se atropelam, se empurram,
se impedem de vir aos lábios...
Quando me vires em silêncio,
olha-me nos olhos e verás as marés
que fluem e refluem dentro de mim.
Então, dá-me a tua mão
e ajuda-me a chegar à praia."

terça-feira, maio 02, 2006

Frase

segunda-feira, maio 01, 2006

Amar é...

É sonhar com uma gota de realidade
e realizar uma gota desse sonho
É estar presente até na ausência
Amar é ter em quem pensar
É razão que ninguém teria razão para nos tirar
É ser só de alguém e nunca deixar esse alguém só
É pensar em você tão alto a ponto de você escutar
Amar é ir até a morte
É acordar para a realidade do sonho
É vencer através do silêncio
É ser feliz até com um pouco quando muito não é bastante
Amar é dar amnistia ao seu coração
É sonhar o sonho de quem sonha com você
É sentir saudades
É chegar perto na DISTÂNCIA
Amar é a força da razão
É quando os momentos são eternos
Amar é ser adulto e se sentir criança
É viver a vida em versos e ao inverso
É a maior experiência na vida de um homem...
Alberto Brizola

Auto-Estima

Se um dia alguém fizer com que se quebre a visão bonita que você tem de si, com muita paciência e amor reconstrua-a. Assim como o artesão recupera a sua peça mais valiosa que caiu no chão, sem duvidar de que aquela é a tarefa mais importante, você é a sua criação mais valiosa. Não olhe para trás. Não olhe para os lados. Olhe somente para dentro, para bem dentro de você e faça dali o seu lugar de descanso, conforto e recomposição. Crie este universo agradável para si. O mundo agradecerá o seu trabalho.
( Brahma Kumaris )